Blog

Tudo sobre Adequação do Sistema de Medição em 8 passos

Etapa fundamental para a migração para o Mercado Livre de Energia, a Adequação do Sistema de Medição para Faturamento (SMF) é feita para tornar possível a medição das operações energéticas no Ambiente de Contratação Livre (ACL).

É neste mercado que os consumidores deixam de adquirir a energia elétrica da Distribuidora e passam a negociá-la nas melhores condições diretamente com usinas geradoras ou empresas comercializadoras de energia. No roteiro abaixo, guiamos você pelas principais informações deste serviço:

 

adequacao-sistema-de-medicao1) O que é?

A Adequação do Sistema de Medição para Faturamento é uma fase necessária para que o consumidor do Mercado Cativo realize a migração para o Ambiente de Contratação Livre (ACL), o também chamado Mercado Livre de Energia.

 

2) Qual é sua finalidade?

De uma forma geral, a adequação acontece porque o medidor padrão utilizado no Mercado Cativo é diferente do usado no ACL. No entanto, muitas vezes é preciso fazer ajustes também nas estruturas de eletrodutos, cabeamento, entre outros equipamentos. Dessa forma, o serviço de Adequação é necessário para atender as especificidades técnicas e assim garantir os padrões adequados para migração. Escolha o parceiro ideal para a migração.

 

3) Como acontece a execução do serviço?

Quando o serviço de Adequação do Sistema de Medição é iniciado, uma etapa anterior entre o cliente e a distribuidora já foi iniciada. Inicialmente, o cliente faz a chamada “carta denúncia”, demonstrando à distribuidora seu interesse em migrar para o ACL. Assim, nessa fase são estabelecidos e esclarecidos o que cabe a cada agente envolvido na migração. Uma vez completada essa fase, damos início a etapa operacional.

 

4) Quais são as etapas?

  1. Solicitação do Parecer de Localização junto à CCEE;

  2. Elaboração e encaminhamento do projeto ao órgão responsável;

  3. Adequação/implantação do SMF;

  4. Estabelecimento do canal de comunicação dos medidores com a CCEE;

  5. Encaminhamento do Relatório de Comissionamento ao órgão responsável;

  6. Solicitação de cadastramento do Ponto de Medição;

  7. Início do processo de coleta.

 

5) Quais são as normas a serem seguidas?

Ao fazer o projeto da migração, é preciso seguir o padrão exigido pela distribuidora específica. Para isso, deve-se realizar todas as adequações de acordo com o escopo determinado por ela. Apesar de existirem normas gerais, cada distribuidora possui também suas normas próprias.

Com a aprovação do projeto pela mesma, é possível adquirir o  material necessário para a adequação em campo. Nesse processo operacional, a distribuidora realiza o acompanhamento e verifica se tudo está acontecendo dentro de seus padrões.

 

6) Como é feita a fiscalização?

Quando o cliente faz a notificação da migração, ou seja, no momento em que a concessionária toma conhecimento da intenção, a área responsável pela medição organiza uma inspeção. Nessa visita os inspetores podem apontar ajustes na subestação como um todo.

 

7) Qual o resultado da Adequação do Sistema de Medição?

Ao fim do processo, quando são finalizadas e aprovadas as etapas comerciais e físicas de montagem e Adequação, a distribuidora cadastra aquele ponto de medição na Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). A partir daí, ele faz parte do Mercado Livre de Energia, desde que cumpridos os demais requisitos exigidos no processo.

 

8) Como conhecer um projeto na prática?

Com mais de 300 Adequações realizadas, a Arion esclarece o serviço na prática com o caso da Oi e das Lojas Marisa no e-book abaixo. Além disso, nele você descobrirá tudo que precisa saber sobre o serviço de Adequação do Sistema de Medição:

 

PARA UM ESTUDO COMPLETO

Depois de entender a Adequação do Sistema de Medição, você provavelmente quer entender como aproveitar as oportunidades do Mercado Livre. Afinal, se faz parte dele, opera com mais liberdade e autonomia na negociação. Aqui, daremos algumas dicas que podem ajudar sua empresa a aumentar os ganhos nesse ambiente.

 

Entenda o Mercado Livre de Energia atual

mercado-livre-de-energiaO mercado de energia no Brasil está em um momento de bastante transformação, sobretudo no que diz respeito às questões regulatórias, que estão passando por algumas adaptações.

Como a energia sempre foi e cada vez mais se reafirma como um insumo fundamental dentro dos custos de uma empresa, os olhares dos gestores e donos de negócio têm se voltado cada vez mais para a redução de gastos. Conheça algumas dicas para economizar energia.

 

De onde vem a energia?

Os consumidores no Mercado Livre compram energia diretamente dos geradores ou comercializadores, através de contratos bilaterais com condições livremente negociadas. Nessa negociação estão detalhes como preço e prazo, por exemplo. Cada unidade consumidora paga uma fatura referente ao serviço de distribuição para a concessionária local. Isso acontece pois a energia adquirida chega na unidade por meio do sistema de rede elétrico já disponível. Além disso, pagam uma ou mais faturas referentes à compra da energia.

 

Como acontece a Gestão neste Mercado?

gestao-no-mercado-livre-de-energia

Apesar da comercialização de energia ser mais autônoma no ACL, é exigido que o consumidor tenha contratos com montantes suficientes para atender o consumo de suas unidades. Caso isso não aconteça, o consumidor está sujeito à aplicação de penalidades pela CCEE.

Por isso, é preciso contar com um gerenciamento responsável, que entenda e monitore o consumo das unidades. Isso garantirá que os melhores momentos para a compra de energia serão monitorados.

Dessa forma,  é necessário que esses consumidores invistam na contratação de empresas capazes de proporcionar uma gestão eficiente. Essa organização deve estar atenta às mudanças na legislação e eventuais oportunidades que podem impactar nos processos produtivos. Entenda quem pode ajudar sua empresa a negociar no Mercado Livre de Energia.

 

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

 

 

Quais são os benefícios do Mercado Livre de Energia?

Energia mais barata: Com a possibilidade de negociação individual de preços, prazos e quantidade de energia fornecida, os custos com energia podem ser diminuídos significativamente. Esse é um dos principais benefícios do Mercado Livre de Energia.

Desconto na TUSD: A Tarifa de Uso dos Sistemas Elétricos de Distribuição é uma tarifa cobrada de todos os usuários de energia elétrica no Brasil. Com a utilização de energias alternativas, a empresa pode receber 50%, 80% e até 100% de desconto na TUSD.

Previsibilidade nos gastos: Os pacotes de energia abrem a possibilidade de saber antes quanto será gasto com energia em cada mês, garantindo um orçamento mais confiável e previsível.

Ausência de bandeiras tarifárias: No Mercado Livre de Energia, uma vez que os contratos e preços são negociados anteriormente com a empresa comercializadora do serviço, as bandeiras tarifárias não são aplicadas. Dessa forma, é possível saber com antecedência o valor a ser cobrado.

Possibilidade de venda da energia não utilizada: Caso o pacote contratado não seja totalmente consumido, há a possibilidade de venda da energia restante, evitando gastos desnecessários.

Economia com baixo investimento: Os investimentos para a troca dos equipamentos necessários são baixos, e o retorno econômico é rápido e eficaz.

Regulamentação e segurança: O Mercado Livre de Energia é regulamentado por lei normativas da ANEEL e possui regras para o seu funcionamento, com garantia de legalidade e bom funcionamento.

 

Quer entender todos os detalhes do Mercado Livre de Energia? Confira nosso material: