Blog

Qual a importância da manutenção preventiva nas usinas para um bom funcionamento?

Você conhece as regras da manutenção preventiva? Em qualquer segmento de mercado, serviços de manutenção são feitos para atuar no gerenciamento de riscos e também para corrigir eventuais falhas ou desgastes. Quando tratamos especificamente de Usinas produtoras de energia, sobretudo as Pequenas Centrais Hidrelétricas e Centrais Geradoras Hidrelétricas, as ações de manutenção são estratégicas.

No caso do Sistema de Medição para Faturamento (SMF) – responsável pelo registro das operações energéticas de uma Usina – a manutenção é também obrigatória, sendo divididas em ações preventivas e corretivas.

Mas, primeiro: o que são as usinas geradoras de energia?

Ao falar de usinas geradoras de energia, a maioria das pessoas logo pensa nas gigantescas usinas hidrelétricas, que ainda representam a maior parte da matriz energética brasileira. No entanto, no mercado de energia, existem muitos outros agentes geradores que desempenham um papel fundamental no abastecimento energético de nosso país.

Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs)

As Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) são usinas hidrelétricas de tamanho e potência relativamente reduzidos, conforme classificação feita pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em 1997.

Esses empreendimentos têm, obrigatoriamente, entre 5 e 30 megawatts (MW) de potência e devem ter menos de 13 km² de área de reservatório. Apesar do nome, que carrega o “pequenas”, de acordo com A Associação Brasileira de PCHs e CGHs (ABRAPCH), as PCHs são hoje responsáveis por cerca de 3,5% de toda a capacidade instalada do sistema interligado nacional.

usina-geradora-de-energia

Centrais Geradoras Hidrelétricas

As Centrais Geradoras Hidrelétricas (CGHs) também são geradoras de energia que utilizam o potencial hidrelétrico para sua produção. A diferença é que as CGHs são ainda menores, tanto em termos de tamanho quanto de potência. De acordo com a classificação da  Agência Nacional de Energia Elétrica, esses empreendimentos podem ter o potencial de gerar de 0 até 5MW de energia.

De acordo com a ABRAPCH, o Brasil conta com 554 unidades de CGHs em operação instaladas em todo seu território, que representam 425.428 kilowatts (kW) de potência instalada. Com essa abrangência, essas centrais geram aproximadamente 0,2% do total da matriz energética do país.

Como funciona o serviço de Manutenção Preventiva nas Usinas?

Para que o Sistema de Medição para Faturamento (SMF) seja eficaz em sua operação, é preciso que sejam realizadas manutenções preventivas e, quando necessário, manutenções corretivas pelos agentes envolvidos.  Conheça o serviço na prática.

Por isso, de acordo com a resolução normativa da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) 756/2016, o Agente passa a ter a responsabilidade de:

1. Desenvolver um plano anual de manutenções preventivas (com cronograma) e submetê-lo ao agente conectado (concessionária local).

2. Realizar uma manutenção preventiva a cada dois anos e calibração dos medidores a cada cinco anos.

3. Realizar uma manutenção preventiva a cada dois anos e calibração dos medidores a cada cinco anos.

Mas qual a diferença entre as manutenções?

Manutenção Preventiva – tem como objetivo antever eventuais problemas no sistema de medição, mitigando falhas inesperadas e prezando para uma utilização plena e assertiva do equipamento, garantindo mais eficiência e conservação.

Manutenção Corretiva – tem o objetivo de corrigir falhas que já afetam o sistema de medição e provocam mal funcionamento ou inoperância do SMF.

Qual a importância da manutenção preventiva?

A manutenção preventiva visa garantir que a Usina opere sem nenhuma dificuldade. Além disso, zela pela qualidade dos equipamentos dando uma maior previsibilidade dos processos produtivos. Além disso, também, evita gastos com trocas de equipamentos por falhas devido à falta de manutenção.

Assim, com a Manutenção Preventiva, riscos de eventuais perdas ou interrupção da produção são eliminados. Afinal, quando um equipamento não recebe esse tipo de monitoramento, a conseqüência é a diminuição ou a paralisação da produção. Dessa forma, a pausa pode resultar em perdas e redução do lucro, afetando clientes, funcionários e investidores. Saiba todos os detalhes do serviço de Manutenção do SMF.

Leia mais: